erva-medicinal

MEDICINA NATUROPÁTICA
 
Por Dr. Carlos Luis da Paixão

 

 

         A medicina naturopática é uma prática eclética de cuidados de saúde unidos por uma filosofia, teoria e princípios fundamentais. Um princípio central da filosofia naturopática é Vis medicatrix naturae (o poder da cura natureza), um conceito antigo muitas vezes atribuído a Hipócrates, que se refere a um processo de cura auto-organizado inerente sistemas vivos que são mantém e restaura saúde.

          Os termos “sistema complexo” e “multimodalidade” no contexto da medicina naturopática são devido aos principais componentes de estudo. A profissão naturopata com base em duas filosofias fundamentais da medicina (vitalismo e holismo)e sete princípios de práticas (poder de cura da natureza; tratar a pessoa inteira; tratar a causa; primeiro, não causar danos; médico como professor; promoção da saúde e prevenção de doenças; e bem-estar). A filosofia e teoria são traduzidas para uma prática clínica por meio de variedade de terapêuticas.

          Existem sete modalidades principais:

  1. Nutrição Clínica e modificação/ aconselhamento de dieta, dentro de uma visão metabólica/sanguínea;

  2. Nutrição aplicada (uso de suplementos dietéticos, medicamentos tradicionais e produtos naturais de saúde);

  3. Fitoterapia;

  4. Aconselhamento sobre estilo de vida;

  5. Hidroterapia;

  6. Homeopatia, incluindo homeopatia complexa;

  7. Modalidade física ( com base nas modalidades de tratamento ensinadas e permitidas).

 

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define uma naturopatia como parte da Medicina Tradicional e Complementar e recomenda este setor para construir evidências para apoiar seu uso seguro e eficaz. O imperativo de aumentar a base de evidências da medicina tradicional e complementar resultados do surgimento da medicina baseada em evidências no último quarto do século XX. Embora um corpo substancial de evidências para a eficácia das “ferramentas de comércio” da medicina naturopática (ou seja, suplementos fitoterápicos e nutricionais e intervenções de estilo de vida , está agora disponível, existe evidência cientifica quantitativa que o documenta como um método eficaz na prática médica.

       

O movimento em direção ao desenvolvimento de umas base de evidência cientificas para a medicina naturopática não é sem controvérsia. Alguns argumentaram que a MBE é antitética à naturopatia tradicional são marginalizadas ou excluídas em um processo de coação de sistema não ortodoxos de saúde e cura para que se encaixe no paradigma cientifico dominante. Outros argumentam que embora existam tensões inevitáveis entre as epistemologia T&CM e EBM essas tensões e suas resoluções também pode conter uma chave para entendimento mais produtivo entre o conhecimento  tradicional e cientifico.

        

Galvanizado por esta necessidade de desenvolver um corpo de evidências cientificas quantitativas que apoiem a medicina naturopática, um grupo de pesquisadores naturopatas dos EUA uma bolsa do National Institutes of Health National Center for Complementary and alternative  Medicine) em 2006 para desenvolver uma Agenda de Pesquisa Médica Naturopática. O projeto envolveu diretores de pesquisa de todas as instituições norte-americanas com um programa de naturopatia, Souther Cross University (uma instituição australiana com um programa de medicina naturopática financiado publicamente), junto com 1200 naturopatas acadêmicos, médicos, estudantes e pesquisadores médicos selecionados. A principal recomendação NMRA era que a pesquisa fosse conduzida sobre a prática geral da medicina naturopática as soluções de agentes únicos ( como suplementos fitoterápicos ou nutricionais individuais